fbpx

Solenidade de São José

 em Artigos

São José é um santo com tanto para nos dizer, com tanto para nos ensinar, com tanto pra nos ajudar!

São José é modelo de esposo pela sua relação com a sua esposa Maria Santíssima. Analisando a natureza do matrimônio de José com Maria, nota-se que inclui todos os elementos do verdadeiro matrimónio, tais como os descrevem Santo Agostinho e São Tomás de Aquino: “união indivisível dos ânimos”, “união dos corações” e “consenso”. Quem melhor do que São José cumpriu as exigências da escravidão de amor, consagração total, consciente e voluntária às pessoas de Jesus e Maria? São José é modelo de pai, na sua paternidade com Jesus, sendo este um filho muito especial. São José é modelo dos sacerdotes, que também são pais e modelo para os que se preparam para exercer esta paternidade: os seminaristas. São José é modelo na relação com os santos anjos. Por diversas vezes visitado pelos anjos, assim lhes tinha docilidade. Deixa-se guiar pelos anjos para aceitar Maria, pois o que nela se gerou é fruto do Espírito Santo. Com os anjos vive o mistério do Natal, que cantam a glória de Deus as alturas, e a paz na terra. Avisado pelo anjo do Senhor, foge para o Egito e mais tarde de novo, de lá regressará. São José é modelo dos trabalhadores, ele que na carpintaria de Nazaré trabalhava no seu dia a dia para ganhar com o suor do seu rosto o alimento para Jesus e Maria. Por isso, São José é também modelo para viver a providência de Deus, que cuida de nós, para que nada nos falte. São José é modelo de contemplação para todos os cristãos, e de forma especial para os consagrados na vida contemplativa dele não é conhecida uma única palavra no Evangelho. São José fala-nos com a sua vida, no silêncio, no seu agir discreto mas tão eficaz. São José é um homem de um profundo silêncio interior, de um silêncio de recolhimento e constante união com Deus. São José é também protetor dos moribundos, pois a sua morte foi assistida por Jesus e Maria, assim também nos há de ajudar na hora da nossa morte a morrer nos braços de Jesus e de Maria, que nos conduzirão ao eterno Pai. São José é modelo de virtudes humanas, homem fiel à palavra dada, homem de respeito e compromisso. São José modelo de pureza, tendo recebido por esposa aquela que é pura e imaculada entre as mulheres, foi o guarda desta Virgem. São José é modelo de obediência sendo o terror dos demônios, também pela sua humildade. E, segundo alguns autores espirituais, ocupando no Céu o lugar deixado vago pelo demônio. Atribui-se a São Jerônimo o texto que diz: “A ruína no mundo foi provocada por quatro causas: por um homem, por uma mulher, por uma árvore, por uma serpente. A sua restauração foi produzida por quatro favores que correspondem aos anteriores, a saber: por Cristo, por Maria, pela cruz e pelo esposo José.”

São José é o Justo, como lhe chamam os evangelistas, aquele que dá a cada um o que lhe pertence, a começar por Deus. A virtude da justiça para com Deus é a religião, ele apresenta Jesus no templo, cumpre a lei do Senhor.

São José é modelo de vida e protetor dos emigrantes e exilados, também ele foi estrangeiro no Egito com a Sagrada Família, aliás esteve ilegal, na condição de refugiado. São José é modelo para o descanso, o seu sonho não é de quem é indiferente e se descuida, mas de quem confia, de quem sabe que Deus não permite nada senão para nosso maior bem.

São José é patrono da Igreja Universal. Com zeloso cuidado e solicitude sem igual alimentou Aquele que os fiéis recebem como o Pão da Vida Eterna. Sendo a Igreja o Corpo de Cristo, tendo ele guardado Cristo, também agora continua a guardar cada um de nós e todos, como membros do Corpo de Cristo. Sendo Maria figura da igreja, a Igreja Corpo Místico de Cristo encontrava-se já sobre a guarda de São José, quando a virgem Santíssima lhe era confiada. São José modelo de fé, e esta, alimentada pela oração, é o tesouro mais precioso que São José nos transmite. São José é poderoso intercessor no Céu, pois “não podemos duvidar que Jesus conserva no Céu para com São José, a ternura e respeito que lhe testemunhou outrora na terra, isto é, ternura e respeito filial” diz São Bernardino de Sena.

Santa Teresa de Jesus, uma das maiores devotas de São José, diz-nos no seu Livro da Vida: “Tomei por advogado e senhor ao glorioso São José. Encomendei-me muito a ele. Vi claramente que, tanto desta necessidade como de outras maiores de honra e perda de alma, este pai e senhor meu me tirou com maior bem o que eu sabia pedir. Não me recordo, até agora, de lhe ter suplicado coisa que tenha deixado de fazer. E, coisa de espantar, as grandes mercês que Deus me tem feito por meio deste bem-aventurado santo, e dos perigos que me tem livrado, tanto no corpo como na alma. A outros santos parece ter dado o Senhor graça para socorrer numa necessidade; deste glorioso Santo tenho experiência que socorre em todas. O Senhor nos quer dar a entender que, assim como lhe foi sujeito na terra – como tinha nome de pai, embora sendo aio, o podia mandar – assim o Céu, faz tudo quanto lhe pede. Isto têm visto por experiência alguma outras pessoas a quem eu dizia para se encomendarem a ele. E assim há muitas que são devotas experimentando de novo esta verdade. […] Só peço por amor de Deus que faça a prova quem não me acreditar e verá por experiência o grande bem que é o encomendar-se a este glorioso patriarca e ter-lhe devoção. É que não sei como se pode pensar na Rainha dos Anjos – no tempo em que passou com o Menino Jesus – sem que se dê graças a São José pelo muito que então nos ajudou.

 

São José, guarda-nos em Cristo!

 

Pe. Marco Luís

Pároco de Almada

Diocese de Setúbal – Portugal

Entre em contato conosco

Por favor escreva sua mensagem aqui:

0

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar