Catequeses

Os ciclos de Catequeses

Ciclo I
O “PRINCÍPIO”
5 SET 1979 – 2 ABR 1980

Em colóquio com Cristo sobre os fundamentos da família.

05/09/1979

Na primeira narrativa da criação encontra-se a definição objectiva do homem.

12/09/1979

Na segunda narrativa da criação encontra-se a definição subjectiva do homem.

19/09/1979

Relação entre a inocência original e a redenção operada por Cristo.

26/09/1979

O significado da solidão original do Homem.

10/10/1979

A solidão original do Homem e a sua consciência de ser pessoa.

24/10/1979

Na própria definição do Homem está a alternativa entre a morte e a imortalidade.

31/10/1979

A unidade original do homem e da mulher na humanidade.

07/11/1979

Mediante a comunhão das pessoas, o homem torna-se imagem de Deus.

14/11/1979

Valor do matrimónio uno e indissolúvel à luz dos primeiros capítulos do Gênesis.

21/11/1979

Os significados das primordiais experiências do homem.

12/12/1979

Plenitude personalista da inocência original.

19/12/1979

A criação como dom fundamental e original.

02-01-1980

A contraposição entre carne e Espírito e a «justificação» na fé.

07/01/1980

A revelação e a descoberta do significado esponsal do corpo.

09/01/1980

A vida segundo o Espírito fundada na verdadeira liberdade.

14/01/1980

O homem-pessoa torna-se dom na liberdade do amor.

16/01/1980

Consciência do significado do corpo e inocência original.

30/01/1980

A troca do dom do corpo cria autêntica comunhão.

06/02/1980

A inocência original e o estado histórico do homem.

13/02/1980

A primeira festa da humanidade segundo o relato da Génesis (es.)

20/02/1980

O significado bíblico do conhecimento na convivência matrimonial (es.)

05/03/1980

O mistério da mulher revela-se na maternidade (es.)

12/03/1980

O ciclo do conhecimento-geração e a perspectiva da morte.

26/03/1980

Os interrogativos sobre o matrimônio na visão integral do homem.

02/04/1980

Ciclo II
A REDENÇÃO DO CORPO
16 ABR 1980 – 6 MAI 1981

Cristo apela para o «coração» do homem.

16/04/1980

O conteúdo ético e antropológico do mandamento «Não cometerás adultério»

23/04/1980

A concupiscência é o fruto da ruptura da aliança com Deus.

30/04/1980

Radical mudança do significado da nudez original

14/05/1980

O corpo não submetido ao espírito, ameaça a unidade do homem-pessoa.

28/05/1980

O homem com o seu corpo à luz da palavra de Deus.

04/06/1980

O domínio sobre o «outro» na relação interpessoal.

18/06/1980

A tríplice concupiscência limita o significado esponsal do corpo.

25/06/1980

A concupiscência torna impossível a liberdade interior do dom.

23/07/1980

Na vontade do dom recíproco a comunhão das pessoas.

30/07/1980

O Sermão da Montanha aos homens do nosso tempo.

06/08/1980

O conteúdo do mandamento «Não cometer adultério»

13/08/1980

O adultério segundo a lei e na linguagem dos Profetas.

20/08/1980

O adultério segundo Cristo, falsificação do sinal e ruptura da aliança pessoal.

27/08/1980

O significado do adultério transferido do corpo para o coração.

03/09/1980

A concupiscência como afastamento do significado esponsal do corpo.

10/09/1980

O desejo, redução intencional do horizonte da mente e do coração.

17/09/1980

A concupiscência afasta o homem e a mulher das perspectivas pessoais e «de comunhão»

24/09/1980

Construir o novo sentido ético através da descoberta dos valores.

01/10/1980

Interpretação psicológica e teológica do conceito de concupiscência.

08/10/1980

Valores evangélicos e deveres do coração humano.

15/10/1980

Realização do valor do corpo segundo o plano do Criador.

22/10/1980

A força original da criação torna-se, para o homem força de redenção.

29/10/1980

«Eros» e «Ethos» encontram-se e frutificam no coração humano.

05/11/1980

A espontaneidade é verdadeiramente humana quando é fruto amadurecido da consciência.

12/11/1980

Cristo chama-nos a reencontrar as formas vivas do homem novo.

03/12/1980

Tradição vétero-testamentária e novo significado de «pureza»

10/12/1980

Vida segundo a carne e justificação em Cristo.

17/12/1980

Santidade e respeito do corpo na doutrina de S. Paulo.

28/01/1981

Descrição paulina do corpo e doutrina sobre a pureza.

04/02/1981

A virtude da pureza, realização da vida segundo a pureza.

11/02/1981

Doutrina paulina da pureza como «vida segundo o Espírito»

18/03/1981

A função positiva da pureza de coração.

01/04/1981

Pedagogia do corpo, ordem moral e manifestações afetivas.

08/04/1981

O corpo humano, «tema» das obras de arte.

15/04/1981

A obra de arte deve sempre observar a regularidade do dom e do recíproco dar-se.

22/04/1981

Os limites éticos nas obras de arte e na produção audiovisual.

29/04/1981

Responsabilidade ética do artista ao tratar o tema do corpo humano.

06/05/1981

Ciclo III

CRISTO APELA A RESSURREIÇÃO
11 NOV 1981 – 10 FEV 1982

Palavras essenciais para a teologia do corpo.

11/11/1981

A aliança de Deus com os homens renova a realidade da vida.

18/11/1981

A formação da antropologia teológica.

02/12/1981

A perfeita realização da pessoa.

09/12/1981

As palavras de Cristo sobre a Ressurreição completam a revelação do corpo.

16/12/1981

Valor primeiro e definitivo do corpo humano.

13/01/1982

A ressurreição de Cristo é resposta ao inevitável da morte do corpo.

27/01/1982

Somos portadores da imagem de Cristo ressuscitado.

03/02/1982

A espiritualização do corpo, fonte da sua incorruptibilidade.

10/02/1982

Ciclo IV

VIRGINDADE CONSAGRADA

10 MAR 1982 – 21 JUL 1982

Virgindade ou celibato (es)

10/03/1982

A vocação à castidade na realidade da vida terrena.

17/03/1982

O valor da continência “por amor do Reino dos Céus”

24/03/1982

Recíproca iluminação entre matrimônio e castidade.

31/03/1982

A continência por amor do Reino dos Céus não diminui o valor do matrimônio.

07/04/1982

Continência e matrimônio são duas situações fundamentais.

14/04/1982

O celibato é renúncia feita por amor.

21/04/1982

Continência por amor do reino de Deus e significado esponsal do corpo.

28/04/1982

A virgindade é um grande valor de autenticidade evangélica.

05/05/1982

A importância e responsabilidade da escolha livre do estado de vida.

23/06/1982

«Agradar a Deus» síntese teológica da santidade.

30/06/1982

A ação da graça de Deus em cada homem na escolha entre virgindade ou matrimônio.

07/07/1982

A «concessão» paulina de abstinência entre os cônjuges na dinâmica espiritual da teologia do corpo.

14/07/1982

No mistério da redenção do corpo, a esperança da vitória sobre o pecado.

21/07/1982

Ciclo V

A SACRAMENTALIDADE DO MATRIMÔNIO

28 JUL 1982 – 4 JUL 1984

O amor dos esposos encontra exemplo na dimensão do amor de Cristo pela Igreja.

13/10/1982

O matrimônio é parte integrante do sacramento da criação.

06/10/1982

A analogia do amor esponsal indica o carácter “radical” da graça.

29/09/1982

A grande analogia do amor esponsal de Cristo e da Igreja.

22/09/1982

A doação esponsal de Cristo à Igreja.

15/09/1982

A sacramentalidade do matrimônio.

08/09/1982

Atributos e qualidades morais que devem guiar  as relações de amor entre os esposos.

01/09/1982

Uma vida nova com Deus em amor, integrada na única Igreja Santa.

25/08/1982

O matrimônio, sinal visível do eterno mistério divino.

18/08/1982

A submissão recíproca no “temor de Cristo”

11/08/1982

O mistério de Cristo na Igreja e o chamamento a sermos imitadores de Deus.

04/08/1982

O matrimônio como sacramento, segundo a carta de Paulo aos Efésios.

28/07/1982

O matrimônio é parte integrante da nova economia sacramental.

20/10/1982

A sacramentalidade do matrimônio uno e indissolúvel.

27/10/1982

O matrimônio é sacramento nascido do mistério da “redenção do corpo”

24/11/1982

O matrimônio-sacramento realiza-se na perspectiva da esperança escatológica.

01/12/1982

O matrimônio como sacramento esclarece o significado esponsal e redentor do corpo.

15/12/1982

O sinal sacramental da comunhão dos esposos.

05/01/1983

O sacrifício esponsal da Aliança aplicado ao sacramento do matrimônio.

12/01/1983

Nas palavras do consentimento matrimonial o sinal do “profetismo do corpo”

19/01/1983

O correto uso da linguagem do corpo é testemunho digno de verdadeiros profetas.

26/01/1983

A concupiscência não impede de reler na verdade a «linguagem do corpo»

09/02/1983

O Cântico dos Cânticos (es.)

23/05/1984

O sinal sacramental do matrimônio (es.)

30/05/1984

A verdade sobre o amor segundo a expressão do Cântico dos Cânticos (es.)

06/06/1984

O livro de Tobias (es.)

27/06/1984

O amor conjugal à luz da carta aos Efésios (es.)

04/07/1984

Ciclo VI

O AMOR E A FECUNDIDADE

11 JUL 1984 – 28 NOV 1984

Os ensinamentos da Encíclica Humanae Vitae (es.)

11/07/1984

A norma moral da Encíclica Humanae Vitae sobre o acto matrimonial (es.)

18/07/1984

Harmonia entre os ensinamentos da Humanae Vitae e a Gaudium et Spes (es.)

25/07/1984

A paternidade e a maternidade responsáveis à luz da Gaudium et Spes e da Humanae Vitae (es.)

01/08/1984

O que é moralmente lícito óu ilícito segundo a doutrina da Igreja, na regulação da natalidade (es.)

08/08/1984

A doutrina da Igreja sobre a transmissão da vida na comunidade conjugal (es.)

22/08/1984

A regulação da natalidade segundo a Tradição da doutrina e da prática cristã (es.)

 

29/08/1984

A prática honesta da regulação da natalidade (es.)

05/09/1984

A vida espiritual dos esposos (es.)

03/10/1984

A espiritualidade conjugal à luz da Humanae Vitae (es.)

10/10/1984

A virtude da continência (es.)

24/10/1984

A virtude da continência à luz da Humanae Vitae (es.)

31/10/1984

A continência conjugal (es.)

07/11/1984

A castidade conjugal (es.)

14/11/1984

Os dons do Espírito Santo na vida dos esposos (es.)

21/11/1984

A redenção do corpo e o carácter sacramental do matrimônio (es.)

28/11/1984

Entre em contato conosco

Por favor escreva sua mensagem aqui:

0

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar