Os pequenos segredos de Fátima

Fátima e seus pequenos segredos

“Se a Igreja acolheu a mensagem de Fátima é porque essa contém uma verdade e um chamado que são o mesmo conteúdo do Evangelho” (São João Paulo II).

Esta frase resume bem aquilo que Fátima nos chama nos tempos de hoje: um olhar para a Verdade que como disse Jesus, é Ele mesmo. Podemos pensar: “Depois de 100 anos a mensagem de Nossa Senhora ainda pode nos falar qualquer coisa?” Sim, mas do que nunca neste século XXI Fátima nos infunde esperança e recorda aquilo que muitas vezes nos esquecemos: o Reino começa no interior de cada um. Tanto se fala sobre os três segredos de Fátima (se foram ou não revelados, se estão completos ou não, etc); isso pouco interessa, pois se olharmos bem, a mensagem é construída de “pequenos segredos” já revelados pelo Anjo de Portugal e Nossa Senhora; segredos estes que, se vividos bem, ver-se-ia uma maior autenticidade no nosso seguimento a Jesus Cristo nosso Senhor.

Dentre estes “pequenos segredos”, destaco quatro em particular:

 

O Segredo da Vida de Oração

O primeiro convite da mensagem de Fátima é um convite à vida de oração. Sabemos que a vida de oração é tão importante para sobrevivência da nossa alma quanto o ar é para o nosso corpo. Quando oramos, entramos em diálogo com Aquele que nos amou desde o princípio, que nos formou desde o ventre de nossa mãe (cf. Sl 139,13).

Os três pastorinhos de Fátima (Lúcia, Francisco e Jacinta) antes de receberem a visita da “Senhora tão bonita” foram preparados pelo Anjo de Portugal que os alertou da importância de rezar sempre e também lhes infundiu uma reverência a Jesus no Santíssimo Sacramento da Eucaristia. O Anjo lhes ensinou um breve (mas fortíssimo) ato de fé, esperança e caridade: “Meu Deus eu creio, adoro, espero e amo-Vos, peço-Vos perdão para os que não creem, não adoram, não esperam e não vos amam” (1ª Aparição do Anjo de Portugal, 1916). Além disso, as palavras do Anjo: “Rezai assim, os Corações de Jesus e Maria estão atentos à voz de vossas súplicas” nos  recordam que Deus não é indiferente às nossas súplicas e orações, não importa quão pequenos ou miseráveis somos, pois quando a palavra ainda não nos chegou à língua, o Senhor, já a conhece toda (Sl 139,4). Quando rezamos devemos ter em mente que Dois Corações Santíssimos estão esperando que a nossa súplica se eleve para acolhê-las.

Nas aparições que se seguiram àquela do Anjo, Nossa Senhora aconselha que devemos rezar o Rosário todos os dias para alcançar a paz, indicando quão potente e eficaz é esta oração que não é uma série de repetição monótona e sem sentido, mas, quando bem rezado, é uma contemplação da vida de Jesus com os olhos de Maria Santíssima.

 

O Segredo da vida de reparação.

Intrinsicamente ligada ao convite à oração está o convite a uma vida de reparação vivida através de penitências e sacrifícios. À pergunta dos pastorinhos: “O que devemos fazer para sacrificar-nos?” o Anjo respondeu: “De tudo aquilo que puderdes, oferecei um sacrifício como ato de reparação pelos pecados com que Ele é ofendido e pela conversão dos pecadores” (2ª Aparição do Anjo de Portugal, 1916). Esta vida de reparação nos torna zeladores das almas dos nossos irmãos pecadores que ainda não conhecem Deus ou que mesmo se O conhecem, O ignoram. Nossa Senhora, na aparição do dia 13 de julho, tinha o rosto triste e neste dia mostrou às crianças o inferno e no mês seguinte lhes disse: “Rezai, rezai muito e fazei sacrifícios pelos pecadores, que vão muitas almas para o Inferno por não haver quem se sacrifique e peça por elas”. (4ª Aparição – Valinhos, 19 de agosto de 1917).

Portanto, faz-se necessário a nossa generosidade e nosso amor para oferecer todo o sacrifício que pudermos para salvar os pecadores, lembrando sempre o porquê do nosso sacrifício: “Ó Jesus é por Vosso amor, pela conversão dos pecadores e em reparação aos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria”. (3ª Aparição – Cova de Iria, 13 de julho de 1917).

 

O segredo da Devoção ao Imaculado Coração de Maria

Por duas vezes Nossa Senhora afirmou que Seu Filho Jesus quer estabelecer no mundo a devoção ao Seu Imaculado Coração. É importante percebermos que essa devoção é querida por Deus, quando, em seus desígnios, desde a Cruz, Jesus nos entregou sua Mãe na pessoa de São João: “Filho, eis aí a tua Mãe” (Jo 19,27). No livro dos Apelos da Mensagem de Fátima escrito por Lúcia, ela afirma que: “Estabelecer no mundo a devoção ao Coração Imaculado de Maria significa levar as pessoas a uma plena consagração de conversão, doação, íntima estima, veneração e amor. É, pois, neste espírito de consagração e conversão que Deus quer estabelecer no mundo a devoção ao Coração Imaculado de Maria”. Lendo estas palavras como não lembrar da Total Consagração a Nossa Senhora tão bem explicada por São Luís de Montfort no Tratado da Verdadeira Devoção? Segundo o autor uma verdadeira devoção é interior, terna, santa, constante e desinteressada. Portanto não há caminho mais seguro e escola mais perfeita para formar os santos de hoje que o Imaculado Coração de Maria. E porque o Coração? Porque o Coração de Nossa Senhora é o lugar do encontro do homem com Deus. Em um século que preza as aparências, a mensagem de Fátima, como dito inicialmente, traz esse forte apelo a entrar à vida interior que é um convite a sair das margens da nossa vida e mergulhar em águas profundas. Deus nos chama a ser santos em plenitude e não pela metade e nos convida a uma verdadeira relação com Ele, uma escuta sincera dessa Voz que nos fala ao coração. Ele nos chama a imitar nossa Mãe que conservava todas as coisas no coração. Por isso a devoção ao Coração de Maria, porque o Coração nos lembra o interior, e ninguém melhor que Ela soube bem viver essa vida escondida em Deus.

 

O Segredo da Consolação

Por fim, Fátima nos convida a deixar-nos ser consolados pela Mãe. Maria é aquela Mãe atenciosa que conhece os medos e angústias de seus filhos e lhes vem ao encontro para confortá-los. Vemos isso quando pergunta a Lúcia se ela sofre muito e a Virgem lhe diz: “Não desanimes. Eu nunca te deixarei. O meu Imaculado Coração será o teu refúgio, e o caminho que te conduzirá até Deus”. (2ª Aparição – Cova da Iria, 1917). Temos essa consolação de saber que não estamos sós, somos sim muito fracos e pecadores e por isso mesmo devemos confiar em Maria e deixar-nos conduzir por Ela até o nosso Pai. Diante das lutas que se deve afrontar na vida, antes de cair no desânimo e desespero, é necessário procurar o refúgio seguro; os braços maternos que sempre estão a esperar o menor ato de abandono e confiança para consolar o nosso coração, ou seja, buscar a doce companhia de nossa querida Mãe.

Eis os “segredos da graça, desconhecido da maior parte dos cristãos, conhecidos de poucos devotos, praticado e apreciado por um número bem diminuto” (TVD 82). Que possamos aprofundar nesses segredos e recordar a promessa que Nossa Senhora nos fez: “Por fim, meu Imaculado Coração triunfará”. E esse Triunfo se constrói dia a dia com sorrisos, lágrimas, quedas e vitórias; mas principalmente com a aceitação do projeto de Deus na nossa vida. O Triunfo do Coração de Maria no mundo passa antes pelo Triunfo Dela no nosso coração.

Ir. Clarisse Luísa do Sacratíssimo Coração de Jesus, FAM

Entre em contato conosco

Por favor escreva sua mensagem aqui:

0

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar