fbpx

Ciranda dos Santos

 em Artigos

Diante da imensidade que foi a vida e espiritualidade de São João Paulo II, torna-se árduo tratar dela em um artigo de poucas linhas. Para que o assunto não seja muito extenso, trataremos da sua devoção à Virgem Maria, no âmbito da sua relação com a consagração ensinada por São Luís de Montfort.   

São João Paulo II testemunha com sua vida que um santo gera outro santo, pois no seu caminho espiritual foi determinante a espiritualidade de outro eminente santo, a saber, São Luís Maria Grignion de Montfort, pelo seu ardente amor à Virgem Maria. Como em uma grande ciranda, os santos se dão as mãos e nos dão as mãos a nós, ajudando-nos no caminho de santificação.

O mesmo João Paulo II testemunhará no seu livro autobiográfico “Dom e mistério” que a leitura do Tratado da Verdadeira Devoção foi decisiva para dissolver as perplexidades com que se deparava em relação ao culto a Maria, temendo que este, dilatando-se excessivamente, pudesse tornar-se um risco à supremacia devida a Cristo.  A partir da leitura do Tratado, compreende, no entanto, que a devoção à Virgem Maria é cristocêntrica. Maria conduz a Cristo, colaborando para que Ele reine nos corações dos homens.

O lema “Totus Tuus”, se transforma para sempre na linha guia de toda a sua vida, como seminarista, sacerdote e depois como bispo, cardeal e papa. Quando em 1958 é nomeado pelo Papa Pio XII, bispo auxiliar de Cracóvia, escolhe já o “Totus Tuus” como lema episcopal, junto com o brasão que simboliza Cristo Redentor e Maria aos pés da Cruz, o mesmo que conservará como Papa. E sobretudo viverá o seu lema até ao fim, nos grandes sofrimentos dos últimos meses. Depois da traqueostomia, não conseguindo mais falar, escreverá as palavras: “Totus Tuus”, demonstrando assim a entrega radical na qual havia transcorrido toda a sua vida em união a Maria.

A sua vida marcadamente mariana, indica a compreensão profunda que teve sobre o papel de Maria na vida do cristão. De fato, para ele, o dom que Jesus fez à humanidade ao pés da Cruz, deixando-nos Maria por Mãe, não caiu no vazio, mas São João Paulo II realmente a acolheu, levando-a para casa. Maria contava-se entre os seus bens.

Nos seus escritos, durante o ministério petrino, deixará como legado um extenso e profundo ensinamento sobre a Virgem Maria, no que fica evidente a sua relação filial com a Mãe de Deus. Não só o temor desaparecerá, mas dará lugar à manifestação do seu coração de filho, apóstolo e escravo por amor. 

Hoje, ao celebrarmos a sua festa, que possamos dar as mãos a esse santo, pedindo que nos ajude também a amar Jesus através da nossa consagração à Virgem Maria. Como ele foi ajudado por São Luís Maria, que agora nos possa ajudar a dilatar o nosso amor para com a Virgem Santíssima, de modo a mais perfeitamente amarmos a Jesus Cristo, nosso Rei e Senhor.  

 

Ir. Mariana do Santíssimo Cordeiro de Deus, FAM

 

Referência bibliográfica
LÉTHEL, François-Marie. La luce di Cristo nel cuore della Chiesa. Giovanni Paolo II e la teologia dei santi. Esercizi Spirituali con Benedetto XVI. Città del Vaticano: Libreria editrice vaticana, 2011
Entre em contato conosco

Por favor escreva sua mensagem aqui:

0

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar